Últimas Notícias

Austrália terá premiação recorde e relógio de saque

 

A organização do Australian Open divulgou nesta terça-feira algumas informações a respeito da próxima edição do evento, que acontece entre os dias 14 e 27 de janeiro de 2019. Entre as novidades está o aumento na premiação total e a implementação do relógio de 25 segundos entre os saques.

O montante a ser distribuído entre os jogadores será de 60,5 milhões de dólares australianos, o que supera os 55 milhões da edição de 2018. O valor será equivalente a US$ 42,7 milhões, ou ainda R$ 158 milhões.

É certo que homens e mulheres receberão as mesmas premiações pelas campanhas que fizerem, mas ainda não foi definido quanto cada um recebe por rodada. Em 2018, os títulos de Caroline Wozniacki e Roger Federer renderam 4 milhões de dólares australiano.

O Grand Slam australiano também anunciou uma série de novidades. O relógio de 25 segundos para marcar o tempo entre os saques, que já foi utilizado durante o último US Open, voltará à tona. Ainda sob o ponto de vista tecnológico, o sistema de revisão eletrônica e desafio será implantado em todas as 16 quadras de jogo do Melbourne Park.

Em termos de regras, o Australian Open irá manter o sistema com 32 cabeças de chave para homens e mulheres. O qualificatório para o torneio feminino passará a ter 128 jogadoras, e não mais 96 como é atualmente. Dessa forma a programação terá um dia a mais, já que o quali começará na terça-feira, dia 8 de janeiro.

Os organizadores também pretendem colocar jogos do quali na Margaret Court Arena, segundo maior estádio do complexo, e permitir a comunicação entre jogadores e técnicos no quali e no torneio juvenil. Além disso, a política de calor extremo também será atualizada.